Resenha :: Raio de Sol

Postado por | 7:10 AM

"Às vezes as coisas funcionam a meu favor, e às vezes, não. É a vida. A gente só precisa aproveitar ao máximo."
Sabe quando você ama algo e meio que sente raiva dele também? Então, é o que sinto por Raio de Sol. Esse é um livro bom para @$#@$%$, sério, é maravilhoso, mas tem algumas poucas partes (não o livro todo!) que me irritam em níveis astronômicos.

Eu sei que eu posso ser a estranha julgadora de araque por me irritar com um livro que a maioria das pessoas ama (inclusive eu!), mas caraaa (eu virando uma Kate da vida aqui)... Eu queria espancar a autora em algumas páginas por apelar tanto. Sério, eu estava cheia de amores pelo livro, estava quase querendo virar uma feiticeira para transformar o livro em um cara e casar com ele, mas aí, depois da metade do livro, em menos de vinte páginas a coisa desandou (para mim) e só não abandonei (ainda bem que não fiz isso porque depois dessas páginas comecei a amar de novo) porque tinha amado muito o começo para largar fácil assim. Tem uns agarramentos tão forçados, com uns diálogos meio difíceis de engolir, que eu queria estrangular alguém, só não sabia se estrangulava a mim mesma por continuar lendo ou o livro por ter aquilo, o que não faz sentido já que o livro não tem pescoço...

E se você acha que me irritei apenas com isso se enganou. Sou um ser implicante, sabe? E toda vez que aparecia um “Eu te amo, gata” ou “Eu te amo, gato” ou qualquer fala com essas drogas de apelidos, gato/gata (principalmente quando misturava os agarramentos forçados com esses apelidos que não deveriam existir), eu queria furar os olhos com as unhas! As pessoas usam “gato” e “gata” na vida mesmo? Não é um conto de terror para me dar pesadelo? Porque é irritante, cara, se alguém me chamar assim acho que vou acabar sendo presa por agressão.

Depois de tudo isso, está parecendo que não gostei nem um pouco do livro, né? Mas tenho espaço para vários sentimentos conflitantes dentro de mim, então o amo muitoooooo também (não me julgue!). Amo, principalmente, os personagens, tanto os principais quanto os secundários.
 “Não julguem os outros. Todos nós temos nossas merdas. Fiquem de olho nas suas e deixem o nariz longe da vida dos outros, a não ser que sejam convidados a participar. E, quando receberem o convite, ajudem, não julguem.”

O livro é protagonizado pela Kate “Raio de Sol” Sedgwick, e os capítulos são divididos entre ela e o Keller (o que é bom para ter mais de um ponto de vista) e nele são abordados diversos assuntos como: bulimia, homofobia, suicídio, aborto, Síndrome de Down... Eles poderiam ser melhor aproveitados, mas para um livro de menos de 500 páginas, foi na quantidade certa até, já que nenhum deles é o foco principal do livro. E note que nenhum desses assuntos são os segredos da Kate e do Keller mencionados na sinopse, os tais segredos nem são muito surpreendentes, adivinhei logo e o motivo é algum desses três: 1) eu já li muito na vida, 2) estou virando vidente ou 3) é bem óbvio e clichê para qualquer leitor, principalmente o segredo (desidratante) da Kate. (Aposto no número 3).

Kate é outra estrelinha das mais brilhantes no meu céu de personagens literários. É uma personagem incrível, uma das melhores protagonistas de todos os livros que já li, sem brincadeira. Ela é uma garota com um grande carisma e com uma grande boca suja; ela tem um coração de ouro com glitter; é divertida, sábia, corajosa e forte, e lida com tudo o que a vida joga nela sem deixar de ser positiva, e quando falo tudo é TUDOOO mesmo, é impressionante como ela lida com os problemas sérios que tem, problemas que destroem o psicológico da maioria das pessoas, mas que ela encara com uma atitude louvável, digna de ser aplaudida. E é desse otimismo e positividade que vem o apelido “Raio de Sol” criado pelo Gus (amor meu).
“Ela é um exemplo de positividade. É toda raio de sol. Ela não só vê o lado bom das coisas… ela mora lá.”

A “Raio de Sol” se muda para uma nova cidade para frequentar a universidade; e enquanto ela alimenta seu vício em café (puro sem açúcar) ela conhece o Keller, que trabalha na cafeteria. Esse ser, mesmo não sendo o Gus (amor meu), é um cara bem apaixonante, todo misterioso, nerd, lindo, maravilhoso... Pausa para suspirarmos por ele...
“Permitam-se serem amados. Com todas as fibras do seu ser.”

Suspirei pelo Keller, mas nesse livro meu coração foi para o Gus (amor meu), que é um amigo companheiro e meio palhaço e é também um deus do rock. Ele é o guitarrista e vocalista de uma banda (Rook), que está começando a ter sucesso, e é o melhor amigo da Kate (eles têm uma amizade invejável), que está longe dela geograficamente, mas está presente na vida dela em tudo do melhor jeito que pode. Os dois se amam de um jeito incondicional, conhecem um ao outro como ninguém e possuem uma amizade verdadeira e linda. O Gus (amor meu) é o amigo perfeito que eu sonho todos os dias.
 “Hoje, minha vida é incrível. Não quero pensar no amanhã. Nem no dia seguinte. Então, repito para mim mesma: Hoje, minha vida é incrível.”

Raio de Sol é um livro sobre a vida, com seus erros e acertos, com suas tristezas e alegrias, com suas lágrimas e sorrisos. É um livro que foca no amor de todas as formas; que mostra que tudo na vida tem seu valor e que se deve não só aceitar as coisas boas, mas também as ruins. É um livro que ensina que tudo na vida é uma oportunidade, que precisamos aproveitar cada momento, mas que para isso é necessário olhar o mundo da forma certa, com positividade e não com amargura; que é necessário escolher o amor e não o ódio e raiva. Então viva a vida do jeito mais positivo que puder, aproveitando cada segundo, e “Faça Épico”!
“Você é corajoso…

Agora, vá… faça épico!
É uma ordem. Ande.
Por favor.”

Nota: 

Aviso!!!
Se ou quando for ler Raio de Sol beba muita água para evitar desidratação e use maquiagem à prova d’água para não acabar parecendo um panda. E se persistirem as lágrimas um chick-lit deverá ser lido.

Ficha Técnica
Raio de Sol

Ano: 2016 / Páginas: 448
Idioma: Português
Editora: Planeta
Sinopse (Skoob)
Segredos.
Todo mundo tem um.
Alguns são maiores que os outros.
Alguns, quando revelados,
Podem curar você...
E outros podem acabar com você.
Faça épico, costuma dizer Kate Sedgwick quando quer estimular alguém a dar o melhor de si. Nascida numa família-problema, com direito a mortes e abandono, a garota de dezenove anos sempre buscou fazer a diferença. Em vez de passar os dias lamentando os infortúnios da vida, como tantos fariam em seu lugar, sempre vê as coisas pelo lado positivo não é por outro motivo que Gus, seu melhor amigo, a chama de Raio de Sol.
E é por isso que, quando passa na faculdade e se muda da ensolarada San Diego, na Califórnia, para a fria cidade de Grant, em Minnesota, ela leva consigo apenas boas lembranças e perspectivas. O que ela não espera é que será surpreendida pelo amor único aspecto da vida em relação ao qual nunca quis ser otimista ao conhecer Keller Banks, um rapaz que parece corresponder aos seus sentimentos. Acontece que tanto ele quanto ela têm um segredo. E segredos, às vezes, podem mudar tudo.

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial