Resenha :: Alice no País das Maravilhas

Postado por | 12:18 PM Deixe seu Comentário



Vamos a história, então? (Contem Spoilers)


Alice é uma criança inocente, que está com a sua irmã em uma fazenda, e ela passa a repousar em uma sombra, depois de realizar as suas tarefas domésticas. Alice vê o Coelho Branco de colete, carregando um relógio de bolso. Surpreendida, segue-o até à toca do coelho e cai nela, revelando-lhe a sua longa profundidade como um poço e as suas paredes repletas de prateleiras cheias de objetos estranhos, quadros e de livros. É muito interessante a forma como o mundo paralelo da menina é descrita. Afinal de onde não poderíamos imaginar, por exemplo, que os animais pudessem falar; que houvesse um baralho de cartas que ganha vida própria, a rainha de copas com a sua loucura que chega a ser contagiante, e a existência de um chapeleiro maluco e é claro, um coelho que vive preocupado com a noção de tempo (...)

Representação do gato de Cheshire
A princípio, eu considerei a história muito interessante, mas olhando de maneira mais crítica, eu esperava mais da história. Em minha opinião, o livro não terminou da forma como deveria. A minha primeira teoria para o autor ter escrito o enredo dessa maneira, foi que ele havia se baseado um algum fato real. (Deixo claro aqui, que isso é a minha opinião) A versão real de Alice seria uma menina de 12 anos ou menos que teria sérios problemas psicológicos, tais como esquizofrenia, e ela pudesse ter estado no manicômio ou a algum lugar especifico para tratar da doença. E consequentemente entrar em contato como outros pacientes que se encaixam dentro da mesma categoria. E partir disso começava a criar para si um mundo alternativo, fantasioso.

Representação do Chapeleiro Maluco
" Eu posso ter enlouquecido"?

Segunda teoria, que o autor tinha contato com crianças e pudesse se basear no seu imaginativo para a construção da história, para fazer cada personagem principalmente. 
Afinal quantas ficamos sem ideias, e precisamos recorrer a fontes variadas, para assim termos uma ideia? Digo ter alguma sugestão daquilo que já foi feito para então estipularmos algum parâmetro, alguma regra, que vá representar bem ou de forma mais similar sobre aquilo que pensamos. Até mesmo para você explicar para as outras pessoas qual foi a sua intenção.

O livro é bem curto, não demorei muito em ler. (Na verdade li tudo em um dia!) Eu pude ver o filme, também e devo acrescentar aqui, que os filmes do Tim Burton são fora de série. Eu vi antes mesmo de Alice no País das Maravilhas, o filme - Noiva Cadáver, e a animação feita foi incrível. Tim Burton explora bastante do mundo fantasia, então podemos imaginar efeitos especiais para lá de interessantes. Bem... Alice poderia ser muita mais simples na história pois não foi citada nenhuma característica em especial para a menina. 
Já os demais personagens são bem definidos. Vou citar aqui apenas os principais -  O gato de Cheshire: Aparecia apenas quando a menina precisava, e havia aquele seu sorriso comprido, com os grandes olhos. O Coelho: Que foi quem primeiro aparece na história e interage com Alice, sempre o coitado reclamava em relação ao tempo, tentando evitar atrasos. O chapeleiro Maluco: O nome define tudo, porém sempre fora cordial com a menina, vendedor de chapéus, estava sempre servindo a Rainha. (Da melhor maneira possível, é claro). O Rei de Copas: Ele tem menos influencia que a própria Rainha, e por algum motivo vive a sombra da mesma. A Rainha de Copas: Nervosa com todos ao seu redor, e sempre querendo cumprir as suas execuções. Depois de ler sobre observei que de fato, as execuções não aconteciam. Temos também a Lebre de Março personagem esquizofrênico e um dos mais bipolares da história, certamente aparece para o chá das cinco, e adora louças.

Portanto o livro é muito bom, porém como havia dito anteriormente, eu esperava um outro final da história. Logo abaixo podemos saber um pouco mais sobre o autor do livro.


Sobre o Autor:

Charles Lutwidge Dodgson – mais conhecido como Lewis Carroll – nasceu em 27 de janeiro de 1832 em Daresbury, Inlgaterra, e morreu em Guildford, Inglaterra, a 14 de janeiro de 1898. Seu nome está inscrito na história da literatura mundial por ser o autor de Alice no País das Maravilhas, o mais estranho e fascinante livro para crianças jamais escrito.

Filho de um pastor anglicano, Lewis Carroll tinha dez irmãos e cresceu num ambiente onde aprendeu a contar histórias e cuidar e distrair crianças. Apaixonado por matemática e fotografia, foi nomeado professor de matemática em Oxford, em 1861. Como fotógrafo amador, fotografava invariavelmente meninas entre 8 e 12 anos de idade. Sua obra-prima é fruto de uma história que narrou a Alice Liddle (então com 4 anos), amiga de suas irmãs. Seu primeiro livro, no entanto, é A Syllabus of Plane Algebraical Geometry, um tratado de matemática escrito em 1860.

Por sugestão do escritor Henry Kingsley, o livro foi publicado em 1865 sem ser especificado se era para adultos ou crianças. Foi um sucesso fulminante. Em 1871, publicou a sequência, que seria Alice no País do Espelho. Religioso, professor, pesquisador sério, Lewis Carroll escreveu vários livros, entre poemas, ensaios científicos, textos técnicos e de ficção juvenil.
"Tudo tem uma moral se você conseguir simplesmente notar”. - Lewis Carroll

Ficha Técnica do Livro


Alice no País das Maravilhas
Autor: Lewis Carroll
Editora: L&PM Pocket
172 páginas

Sinopse (Skoob
Obra-prima criada pelo escritor inglês Lewis Carroll, no século XIX, Alice no País das Maravilhas imortalizou-se na literatura mundial como uma fábula capaz de encantar adultos e crianças. Uma ficção sem igual que se tornou sucesso há mais de cem anos e ainda hoje é um clássico obrigatório para leitores de todas as idades.
O livro conta a história de uma menina curiosa que decide seguir um coelho branco, quando de repente cai em sua toca e é levada a um reino onírico, onde convive com criaturas estranhas e se envolve nas mais inusitadas aventuras. Neste universo inesperado, não há limites entre sonho e realidade.
Mais do que uma obra ficcional-juvenil, Alice no País das Maravilhas é uma alucinante viagem por um mundo nada óbvio em que imaginação, desafios de lógica, jogos de palavras e situações nonsense combinam-se de maneira única e inesquecível.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 Palavra do Leitor:

Obrigado por seu comentário!! Bem-vindo(a) ao Clube do Farol!