Resenha :: Fahrenheit 451

Postado por | 12:12 AM 2Comentários

Fahrenheit 451

É um livro que apresenta a censura ambientada em um futuro onde todos os livros são proibidos, opiniões próprias são consideradas antissociais e hedonistas, e o pensamento crítico é suprimido. Onde bombeiros que perderam a sua função, como por exemplo, apagar incêndios e consequentemente salvar pessoas do perigo. Logo os bombeiros, tem agora um novo ofício, atear fogo em livros. Porque se você não tem curiosidade para ler, e, não se sente instigado a isso, você não é uma ameaça para as demais pessoas. E se por acaso você, seus livros serão queimados, onde quer que eles estejam, até não sobrar mais nada para você ter acesso a informação.
"Então, vê agora por que os livros são tão odiados e temidos? Eles mostram os poros no rosto da vida. As pessoas acomodadas só querem rostos de cera, sem poros, sem pêlos, sem expressão" - Ray Bradbury
A história tem como protagonista, Guy Montag, que é submetido a queimar livros (para lembrar, 451 graus Fahrenheit, equivale a 233 graus Celsius, é, segundo o autor, desse livro, a temperatura em que o papel começa a queimar). Enfim.... Voltando a história, Montag sempre fazia mais do mesmo, todos os dias a mesma rotina, mostrando ao leitor que ele estava sem perspectiva de vida. Entretanto, ele relata, em uma parte especifica do livro, que conheceu uma jovem, e ela mudou seus conceitos. Clarisse, é a personagem passa a ser uma peça importante na história. Porque? Essa é a pergunta ser feita.

Porque ela pensa e age de maneira diferente dos demais, diferente a ponto de fazer o próprio leitor se questionar, de quais atitudes devemos praticar, e se perguntar de maneira crítica, porque fazemos tal atitude. Por exemplo, (não que seja errado) seguir o fluxo, seguir a corrente, mas você deve ter a sua própria opinião, defender seus ideais, não deixar que te imponham tudo, de qualquer forma, sem ao menos uma justificativa aceitável(...)

Então o Montag, teve um epifania digamos assim, e ele passa a observar de perto o seu grupo de trabalho, o capitão chefe dos bombeiros passa a ser uma preocupação para ele assim como os demais integrantes da corporação. Temos também uma cultura que passa a ser televisionado vinte e quatro horas por dia, onde cada indivíduo, em sua casa, tem um telão colocado, em cada parede para exibir ali sua vida intima, falando com pessoas que necessariamente apenas seus familiares, pode ser qualquer pessoa.

Montag passa a ver Clarisse, ela o surpreende, perguntando se e ele era de fato. Olha, não pude parar de pensar que esse livro publicado pela primeira vez em 1953, tem haver exatamente com os dias atuais, a nossa rotina, os sentimentos que está implícito, e escondido dentro da maior parte das pessoas. Esse livro não é um romance qualquer, ele foi escrito, para causar dentro de você leitor muitas coisas boas, inclusive uma imensa revolta. Vamos parar e analisar, você tem os problemas apontados para você, e tem vivenciados tudo isso sem questionamentos, chega um momento em que você cansa de ser enganado e manipulado.

Entenda isso, não estou dizendo que, assim que você terminar de ler essa resenha ou o livro, você deve sair e colocar fogo nas pessoas, em objetos ou em si próprio. Não faça isso!! Mas sim prestar uma atenção mais minuciosa a tudo o que estão seu redor. No começo você de sentir igual ou pior do que o bombeiro Montag, porém a história te conduz em uma trama envolvente, que faz você entender o porquê todas as ações feitas pelo personagem. O livro termina de uma forma revoltante, é claro, para te fazer pensar ainda mais sobre o que poderia ser feito, se o bombeiro Montag não tivesse enfrentado as consequências de seus atos, e de não ter ido com o seu plano até o fim.

Devo destacar também que Fahrenheit 451, do autor Ray Bradbury, é considerado como um livro banido. O livro é uma crítica do próprio autor, em relação a perda de interesse pela leitura com a chegada da televisão, para a população americana. Teve também uma adaptação, um curta metragem, ‘The Fireman’. Um curta metragem mudo estadunidense, de 1916. Seu gênero era comédia, com roteiro escrito por Charles Chaplin, Edward Brewer e Maverick Terrell. 

Ficha Técnica do Livro

Fahrenheit 451
 
Ano: 2010
Páginas: 216
Editora: Globo

Sinopse (Skoob) A obra de Bradbury descreve um governo totalitário, num futuro incerto mas próximo, que proíbe qualquer livro ou tipo de leitura, prevendo que o povo possa ficar instruído e se rebelar contra o status quo. Tudo é controlado e as pessoas só têm conhecimento dos fatos por aparelhos de TVs instaladas em suas casas ou em praças ao ar livre. 

O livro conta a história de Guy Montag, que no início tem prazer com sua profissão de bombeiro, cuja função nessa sociedade imune a incêndios é queimar livros e tudo que diga respeito à leitura. 
Quando Montag conhece Clarisse McClellan, uma menina de dezesseis anos que reflete sobre o mundo à sua volta e que o instiga a fazer o mesmo, ele percebe o quanto tem sido infeliz no seu relacionamento com a esposa, Mildred. 
Ele passa a se sentir incomodado com sua profissão e descontente com a autoridade e com os cidadãos. 
A partir daí, o protagonista tenta mudar a sociedade e encontrar sua felicidade.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

2 comentários:

  1. Arrasou na resenha! Agora fiquei com vontade (de novo) de ler este livro! Quem sabe na minha próxima visita (distante) na livraria??????????

    ResponderExcluir

Obrigado por seu comentário!! Bem-vindo(a) ao Clube do Farol!