Os Melhores do Clube

Postado por | 2:44 PM Deixe seu Comentário



Essa semana é uma semana de Especiais de Melhores do Ano aqui no Clube, e hoje temos um especial dentro dos especiais (faz sentido?). Para quem acompanhou o blog durante o ano pode ver resenhas de livros de autores “indie” que não são famosos e que não tiveram seus livros publicados por nenhuma editora (ainda?). São autores que tem seus livros publicados de forma independente seja em formato físico ou como eBook na Amazon ou até publicados no Wattpad. E esses autores se tornaram “Os Melhores do Clube” pela sua escrita, pela sua capacidade de criar histórias maravilhosas, pela sua humildade, pelo seu carisma, pela sua simpatia... Enfim, por inúmeras qualidades que fizeram deles autores que amamos . Conseguimos amar esses autores porque amamos seus livros. E falando em livros, vamos parar de enrolar e falar deles, né?

 Sons de Ferrugem e Ecos de Borboleta   (Mima Pumpkin)

Clique aqui e leia a resenha
Esse livro é exclusivo no Wattpad e foi “pré-resenhado” e resenhado pela Danii aqui no Clube. Ele é um livro de ficção adolescente (com um certo romance e drama), narrado em primeira pessoa pela jovem de dezessete anos Liesel ("uma garota Gibson 1941 original" ), que é puro amor, música e lições para a vida. vida.
É um livro leve, mas que trata de assuntos não tão leves com uma escrita apaixonante.
Se quiser saber mais sobre esse livro não deixe de conferir a “pré-resenha” e a resenha dele aqui no blog, ou de o conferir lá no Wattpad.
“O amor, de repente tão óbvio, não está numa música, num acaso ou em borboletas malcriadas dançando nas entranhas. É uma cidade construída devagar, da base ao topo. Cada momento passado junto, merecido ou imerecido, feliz ou miserável (...). E se o amor é uma cidade construída com a história, pode-se ter a certeza que a tendência é só crescer com o tempo. Pedra sobre pedra sobre pedra de lembranças e decisões e caminhos tomados.”


 Theodora e Outras Mulheres  (Diana Rocco)

Clique aqui e leia a resenha

Theodora e Outras Mulheres é uma coletânea de contos lésbicos – sim, é um livro com temática LGBT . Mas, se você está pensando em contos que só abordam sexo, sexo, sexo, sugiro que leia este eBook e repense seus conceitos. 
Os contos contam com uma linguagem quase poética, porém de fácil leitura. É claro, alguns contos descrevem cenas de sexo, mas reduzi-los a apenas isso seria uma injustiça.
São abordados vários temas como, por exemplo, machismo, homofobia, prostituição infantil, violência familiar e também superação, amor e, claro, paixão e a fantasia não ficou de fora.

“Eu sou a divisa. O Portal do Destino. Sou Aquela a quem ninguém chega impunemente.”


  Fassade (K. S. Broetto)

Clique aqui e leia a resenha
Os personagens são ótimos, mas de cara você vai descobrindo que não caem no clichê. O personagem Johan te mostra que o engano pelos rótulos e aparência se aplicam pelo que existe ao derredor e si aplica a ele próprio.
O olhar ao redor durante a caminhada pelas páginas da leitura faz com que eu perceba a sagacidade de demonstrar que nossos olhos veem aquilo que estão dispostos a observar mesmo sob as aparências e que o não ver procede do mesmo modo.
A luta pela simples sobrevivência, viver o hoje e lutar hoje pra que haja um amanhã, até onde alguém é capaz de lutar, de continuar em frente um pé após o outro? Um dia após o outro pelo simples fato de não desisti, continuar? O lado feio do ser humano é mostrado sem enfeites, mas também sem vulgaridades desnecessárias, e o amor marca o texto por sua existência sem desculpas, sem lógicas rasas ou explicações vazias.
“[...] A vida lhe ensinara que as palavras eram apenas doces mentiras que existiam para prendê-la e lhe rasgar o coração. E, há anos, ela vivia aos pedaços.”


 Sorrisos Quebrados  (Sofia Silva)

Clique aqui e leia a resenha

A história fala de algo que todas as mulheres preferem acreditar ser apenas uma manchete de jornal, estatísticas, números.
Paola está se recuperando de um ataque violento que a deixou com profundas e irreparáveis marcas e cicatrizes emocionais e físicas.
André e sua filha trazem marcas profundas, porém aonde aos olhos alheios e mesmo os mais atenciosos e generosos não alcançam, a dor é difícil de ver e entender, porque as feridas cicatrizadas ou não, ainda sagram, mas são sentidas no coração e não externadas pelo corpo.
Cada um com suas histórias e cicatrizes fazem desse livro o mais belo livro que li esse ano, foi emocionante a cada página, arrebatador em suas reviravoltas e sublime em seu final.
“Eu acredito que sou um quadro abandonado por alguém que nunca desejou ser pintor. Alguém me pegou quando era uma tela branca e em vez de me pintar com a suavidade dos pincéis, me rasgou com o lado pontiagudo.”

Então... Esses livros são de autores “indie” que resenhamos aqui no blog esse ano, esperamos poder encontrar autores e livros tão maravilhosos em 2017 também e que você, caro ser, leia esses livros e se surpreenda com eles também. Até! 
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 Palavra do Leitor:

Obrigado por seu comentário!! Bem-vindo(a) ao Clube do Farol!