Resenha :: O Último Adeus

Postado por | 9:05 AM Deixe seu Comentário

Oiie gente, tudo bem? A resenha de hoje é sobre um dos livros mais falados e mais comentados dos últimos meses "O Último Adeus" publicado pela Darkside em junho do ano passado, a qual tive a oportunidade de lê-lo recentemente esse ano, mais especificamente mês passado, então, vamos lá?

Antes de tudo, só gostaria de dizer que é um pouco difícil falar sobre esse livro, porque ele é diferente de todos os livros que talvez eu já tenha lido, ele tem um certo diferencial, e não só pelo seu tema central em si, mas principalmente, pela profundidade que o livro traz sobre os temas abordados. Bom, o livro como vocês já devem saber, vai falar sobre suicídio (e por mais que seja um tema comum, esse não é "mais um" livro com o tema) depressão, e questões importantes da vida em geral, como superação.
"O tempo passa. Essa é a regra. Independentemente do que aconteça, por mais que pareça que tudo em sua vida está congelado em um determinado momento, o tempo segue em frente."
                       
O livro começa contando a história de Alexis, onde perdeu o seu irmão mais novo, Ty, para o suicídio, há poucas semanas antes do livro começar. Muito abalada, ainda que já tenha se passado um certo tempo, Lex ainda não conseguiu digerir tal ocorrido, e o que de fato levou o irmão a praticar tal ato, uma vez que sempre foi um garoto popular, engraçado, a qual todos gostavam, pois bem, com isso ela começa a frequentar um terapeuta, para tentar ver se através dessa terapia, ela consegue pensar em outras coisas, e seguir adiante, afinal, ela não morreu, ainda está viva, e precisa aprender a lidar com isso, por mais difícil que seja, isso é uma coisa que o livro nos tenta passar e ensinar quase que inteiramente, e o que claro, é muito bom.

Uma das formas que seu terapeuta recomenda Alexis a fazer (uma vez que nada antes estava resolvendo) é escrever em um diário todas as coisas boas que os dois já passaram juntos, todas as recordações, e alguns momentos já vividos, ainda que bons ou não, mas simplesmente escrever, desabafar, expressar através da escrita todos os seus sentimentos e o que está sentindo, segundo Dave, é como se isso amenizasse um pouco e a ajudasse a superar melhor a dor.
"Todos morrem, e todos perdem alguém que amam."

Tudo na verdade começa quando após a morte de Ty, a gente descobre que ele deixou um bilhete para a mãe, com a seguinte mensagem "Desculpa mãe, mas eu estava muito vazio" mensagem essa escrita em um post it (não é a toa toda essa referência) a princípio é a primeira mensagem que vemos que ele deixa, e conforme lemos o livro, descobrimos mais dele e também das pessoas que conviviam ao seu redor, até mesmo o porque de ter se matado. A questão é que para sua única irmã, ele não deixa simplesmente nada, o que a deixa bastante intrigada, afinal, porque talvez tenha deixado algo para outras pessoas e não para ela? Isso é quase que uma busca constante dentro do livro, descobrimos junto com Lexie, e por vezes, conseguimos até mesmo entrar em sua cabeça a ponto de fazermos as mesmas perguntas. Por conta disso, ela acaba carregando por conta própria um sentimento de culpa, um sentimento de como se fosse ela a ter estragado alguma coisa, a ter feito ou não algo, sem nem ao menos saber muito bem da verdade. E claro, bem comovida com tudo isso, e pensando muito, acaba vendo "fantasmas" de seu irmão, como se às vezes, ele realmente aparecesse, ainda estivesse vivo, e até mesmo falasse com ela, vemos em alguns momentos, sonhos também que a mesma tem, e o quanto isso a deixa bem assustada.
"As pessoas que amamos nunca se vão totalmente."

Falando do livro como um todo, é narrado em primeira pessoa por Alexis, onde ora é dividido os capítulos em partes escritas em seu diário, ora, partes do que está acontecendo mesmo naquele momento. O livro é de uma leitura fácil e leve de ser lida, dá para ler bem, porém não tem como não dizer o quanto é denso (se você não estiver num bom momento, espere mais um pouco) esse livro é aquele tipo que mexe literalmente com você, e com tudo o que você acha e pensa sobre a vida, as coisas, as pessoas, como já havia falado, ele é leve sim, porém por vezes é necessário parar para respirar um pouco e refletir coisas que nos é bem proporcionado aqui.

O Último Adeus não é aquele tipo de livro a qual se espera uma reviravolta, ou então grandes acontecimentos, em muitas vezes, ele chega até a ser um pouco "parado" no sentido de não ser o tipo de grandes mudanças, contudo, se tratando do tema específico, posso dizer que sem dúvidas é um dos melhores, se não for o melhor, talvez.

A trama em questão não conta com muitos personagens em destaque, senão a própria Alexis mesmo, o garoto suicida, e sua mãe, que está praticamente o tempo todo junto da filha, mas que acompanhamos na história o quanto precisa amadurecer, para ajudar aqueles ao seu redor, em especial, sua filha, uma vez que é a única pessoa em que pode contar de sua família, já que seus pais são separados.
"Você nunca sabe quando será a última vez."

Devo dizer já para finalizar, que esse livro mexeu muito comigo em diversos sentidos, é o tipo de livro que entra em você e fica por muito tempo simplesmente por tratar de questões tão reais e tão comuns ao mesmo tempo, e em como às vezes nós ainda que sem querer acabamos não percebendo direito as coisas e as pessoas ao nosso redor. É um livro profundo, real e diferente, uma vez lendo o livro, você dificilmente será do mesmo jeito a qual era antes de começar a leitura. Com certeza recomendo a todos, foi uma leitura muito válida para mim, e tenho certeza de que poderá ser para você também. Enfim, leia. Então é isso amigos, por hoje é só, e até mais .

Nota ::  

Informações Técnicas do livro

O Último Adeus
Ano: 2016
Páginas: 352
Editora: DarkSide® Books
Sinopse (Skoob):
O Último Adeus é 
narrado em primeira pessoa por Lex, uma garota de 18 anos que começa a escrever um diário a pedido do seu terapeuta, como forma de conseguir expressar seus sentimentos retraídos. Há apenas sete semanas, Tyler, seu irmão mais novo, cometeu suicídio, e ela não consegue mais se lembrar de como é se sentir feliz.
O divórcio dos seus pais, as provas para entrar na universidade, os gastos com seu carro velho. Ter que lidar com a rotina mergulhada numa apatia profunda é um desafio diário que ela não tem como evitar. E no meio desse vazio, Lex e sua mãe começam a sentir a presença do irmão. Fantasma, loucura ou apenas a saudade falando alto? Eis uma das grandes questões desse livro apaixonante.
O Último Adeus é sobre o que vem depois da morte, quando todo mundo parece estar seguindo adiante com sua própria vida, menos você. Lex busca uma forma de lidar com seus sentimentos e tem apenas nós, leitores, como amigos e confidentes.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 Palavra do Leitor:

Obrigado por seu comentário!! Bem-vindo(a) ao Clube do Farol!