Resenha :: Brilhantes

Postado por | 6:39 PM Deixe seu Comentário





Seria meio que clichê definir esse livro como simplesmente “Brilhante”? Pois é, com certeza seria, eu ligo? Não, não ligo, porque é exatamente o que esse livro é, Brilhante! Primeiro que é completamente diferente do que eu imaginava quando peguei para ler, definitivamente não foi o que eu esperava, acho que eu esperava um livro de espionagem mais denso, e fiquei meio confusa quando ouvir falar que era para quem gosta de X-Men, afinal o que esperar de um livro assim?

Se você se animou com a referencia de X-Men (confesso que isso me atraiu mais ainda para a leitura), sim, lembra pelo fato de uma pequena parcela da população nascer com genes que possam ser identificados como “brilhantes”, ou de forma pejorativa chamados de anormais e esquisitos, aqui já dá para perceber que existe muito preconceito contra eles, apesar de que por muitos na sociedade eles são considerados uteis, graças o grande avanço  tecnológico que proporcionaram, porque diferente dessa comparação com x-men faz acreditar, os dons dos brilhantes, são muito mais sutis, como pessoas com memória fotográfica, super estrategistas, detectores de mentiras, super programadores entre outros do tipo, são dons que tem muito mais haver com a mente, como a do protagonista que é um captor de padrões, podendo fazer uma leitura da pessoa e saber o que ela quer só fazendo leitura corporal, e consegue até identificar algumas mentiras, conseguindo assim essa parcela da população ser melhor em tudo em uma disputa com um “normal”.

“Fotografias eram uma coisa engraçada. Elas ficavam velhas no momento em que eram tiradas, e uma única foto raramente revelava muita coisa. Mas bastava juntar uma série de fotos e surgiam padrões. Alguns eram óbvios: cortes de cabelos, peso ganho ou perdido, tendências da moda. Outros padrões exigiam um tipo especial de olhos para serem notados.”

Falando nesses avanços, o livro se passa em 2013, mas um muito mais avançado, e Nick Cooper é um agente que trabalha para o DAR (Departamento de Analise e Reação), ou seja é um “Brilhante” que trabalha na captura ou na eliminação de outros “Brilhantes” que são considerados perigosos para a paz do país, e o seu maior desafio e prender o terrorista “Brilhante” John Smith para evitar uma guerra civil entre esses dois grupos (normais e anormais), depois de uma tragédia ele acaba decidindo que a melhor forma de ganhar é se infiltrando. Depois daí começa umas coisas bem loucas (ou mais ainda).

O que posso dizer que o livro é repleto de ação, reviravoltas e principalmente cheio de personagens bastante inteligentes, mesmo quando você pensa que está finalmente sacando tudo que vai acontecer no livro, ele te surpreende, confesso que algumas coisas eu já esperava, não da para fugir de todas as receitas distópicas, mas o que Brilhantes trás de diferente é justamente que em outras distopias, somos apresentados a um mundo depois do seu ponto de ebulição, o que fez dele o que é hoje, em Brilhantes o tempo é o presente, um  que humanidade está segurando o fôlego sem saber o que será do futuro com o surgimento desses seres mais bem desenvolvidos, pois nesse universo eles começaram a surgir em 1980, ainda são uma pequena parcela da população, muitos ainda são crianças ou jovens demais, os mais velhos tem no máximo 33 anos, o que faz ter algo novo também é pelo protagonista ser um homem adulto e não um adolescente,ele já tem filhos, uma ex mulher, e uma carreira bem sucedida, o que já faz ter uma narrativa bem diferente (não que eu não goste das outras, mas mudanças de vez em quando sempre é bom).

“Porém há uma questão mais importante, com implicações arrasadoras. Uma questão que está na ponta da língua de todos nós, e que, no entanto, nós não discutimos - talvez por temermos a resposta. O que acontecerá quando essas crianças crescerem?"

O final me fez não ter a mínima ideia do que vai acontecer nesse universo a partir de agora (como seu eu soubesse aonde eu estava me metendo em algum momento desse livro rsrs), só sei que acho que posso confiar nas decisões do Cooper, mas não faço ideia de como alguns personagens vão agir na continuação, mas o segundo livro dessa série, já faz promessas no titulo Um Mundo Melhor, Será?
 
 “- É. Tirando a ideia de que a verdade libertará você, e outras frases feitas que ninguém acredita. As pessoas não querem a verdade, realmente. Querem vidas seguras, aparelhos eletrônicos bacanas e geladeiras cheias.”

Nota: 

Ficha Técnica do Livro

Brilhantes
Brilhantes - Volume 01
Ano: 2015
Páginas: 476
Editora: Galera Record

Sinopse (Skoob)
A partir de 1980, um por cento das crianças começou a apresentar sinais de inteligência avançada. Essa parcela da população, chamada de “brilhantes”, é vista com muita desconfiança pelo restante da humanidade, que teme a forma como esse dom será usado. Nick Cooper é um deles, um agente brilhante, treinado para identificar e capturar terroristas superdotados e levá-los para a custódia do governo. Seu último alvo está entre os mais perigosos que já enfrentou, um líder responsável pelo maior ataque terrorista dos últimos tempos e que pretende começar uma guerra civil. Mas para capturá-lo, Cooper precisa se infiltrar em seu mundo e ir contra a tudo o que acredita. Denominado pelo Chicago Sun-Times como o mestre do suspense moderno, Markus Sakey criou um universo ao mesmo tempo perturbador e incrivelmente semelhante ao nosso, onde um dom pode se tornar uma maldição.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 Palavra do Leitor:

Obrigado por seu comentário!! Bem-vindo(a) ao Clube do Farol!