Dose Dupla :: As vantagens de Ser Invisível

Postado por | 6:16 PM Deixe seu Comentário
  "Nós aceitamos o amor que acreditamos merecer."
Sinopse Livro 
Cartas mais íntimas que um diário, estranhamente únicas, hilárias e devastadoras - são apenas através delas que Charlie compartilha todo o seu mundinho com o leitor. Enveredando pelo universo dos primeiros encontros, dramas familiares, novos amigos, sexo, drogas e daquela música perfeita que nos faz sentir infinito, o roteirista Stephen Chbosky lança luz sobre o amadurecimento no ambiente da escola, um local por vezes opressor e sinônimo de ameaça. Uma leitura que deixa visível os problemas e crises próprios da juventude. (Skoob)
 
Sinopse Filme 
 Charlie (Logan Lerman) é um jovem que tem dificuldades para interagir em sua nova escola. Com os nervos à flor da pele, ele se sente deslocado no ambiente. Seu professor de literatura, no entanto, acredita nele e o vê como um gênio. 
Mas Charlie continua a pensar pouco de si... até o dia em que dois amigos, Patrick (Ezra Miller) e Sam (Emma Watson), passam a andar com ele. (AdoroCinema)
 “Então, esta é minha vida. E quero que você saiba que sou feliz e triste ao mesmo tempo, e ainda estou tentando entender como posso ser assim.”
As vantagens de ser invisível foi lançado primeiramente em 1999 nos Estados Unidos, mas sua história se passa entre 1991 e 1992, de uma forma bem atual conta a história de Charles um adolescente introvertido, que tem dificuldade de se relacionar com as pessoas, inclusive com sua própria família, a pessoa que ele realmente era próximo foi sua tia Helen que morreu quando ele ainda era criança e mais recentemente seu melhor e único amigo acabou cometendo suicídio, ele começa o livro querendo ser diferente, “participar” agora que ele está entrando no ensino médio, a partir daí vemos a vida dele tomando um rumo diferente, principalmente por conhecer Sam e Patrick. O livro é todo escrito em forma de cartas que ele manda para um anônimo, o que achei que nos conecta mais com a história.
“-Você é invisível.” 
“- Você vê as coisas. Você guarda silêncio sobre elas. E você compreende.”
Eu sou completamente apaixonada por esse livro, ele fala de temas pesados como o suicídio, estupro, violência domestica, homofobia, bullying, drogas, depressão e outro problemas psicológicos (apesar de alguns serem mais desenvolvidos na narrativa do que outros) de uma forma diferente, não sei exatamente dizer o que o difere dos outros com a mesma temática, acho que a proximidade com o leitor que alguns pensamentos de Charlie transmite, ele é de uma sensibilidade ao ser diferente, e ao querer agradar, porque esse o jeito dele, não é nada forçado, não sei como pode alguém não gostar dele. E o que é uma das coisas mais interessantes que apesar da narrativa ser de Charlie através das cartas, outros assuntos que estão ligados a outros personagens não são deixados de lado, ele sempre foi aquele que via as coisas, notava a todos, e agora escreve sobre elas.
“Já se sentiu muito mal, depois tudo passar e você não sabe por quê? Eu tento me lembrar, quando me sinto ótimo como agora, que haverá outra semana terrível algum dia, então procuro guardar o maior número de detalhes que posso, e assim, na próxima semana terrível, vou poder lembrar esses detalhes e acreditar que vou me sentir bem novamente. Não funciona muito, mas acho muito importante tentar.”
Mas não vim apenas falar desse livro que amo, mas de uma adaptação foda (mamãe que me perdoe, mas não achei outra palavra que pudesse descrever), sério, gente, eu fico completamente extasiada quando finalmente conseguem adaptar de forma tão brilhante.

Esse filme foi lançada em 21 de setembro de 2012 nos Estados Unidos e em 19 de outubro de 2012 no Brasil, tem no elenco principal Logan Lerman, Emma Watson e Ezra Miller (Percy Jackson, Hermione e Flash respectivamente, mas nesse filme são Charlie, Sam e Patrick, rsrs), o roteiro do filme foi feito pelo autor do livro Stephen Chbosky, e com certeza é um dos motivos por ser tão bom, porque obviamente não tem todos os elementos maravilhosos que tem no livro, não foi tão desenvolvido a relação de Charles com a irmã e o pai por exemplo, e  tem outros assuntos que são muito mais aprofundados no livro, mas entendo que não dá para encaixar tudo, mas o filme conseguiu passar um emoção tão forte quanto livro mesmo assim, e ainda com uma ótima trilha sonora e atores incríveis que conseguem convencer na pele desses personagens como poucos, foi um dos poucos livros que preferir ter a capa do filme, pois para mim eles são Charlie, Sam e Patrick.  
“Acho que, se um dia eu tiver filhos e eles ficarem perturbados, não vou dizer a eles que as pessoas passam fome na China nem nada assim, porque isso não mudaria o fato de eles estão transtornados. E mesmo que alguém esteja pior, isso não muda em nada o fato de que você tem o que tem. É bom e mau.”  
Bom depois de ler o livro por 4 vezes e assistir o filme por duas, eu precisava escrever para tentar convencer a vocês a fazerem o mesmo (podem ler e assistir só uma vez, eu que sou exagerada quando gosto de algo rsrs), apesar de o livro muitas vezes ser considerado aquele que “ou você ama ou odeia”, acho que serviu para todos de uma forma ou de outra, tenho certeza que pelo menos uma carta de Charlie deve ter tocado alguém, e se fez você parar para refletir pelo que seja uma mínima coisa, já valeu a pena.
 “Mas, principalmente, eu estava chorando, porque, de repente, tive consciência do fato que eu estava de pé em um túnel, com o vento batendo no meu rosto. Não importava que eu visse a cidade. Nem mesmo que eu pensasse nisso. Porque eu estava em pé no túnel. E eu realmente estava ali. E foi o suficiente para que eu me sentisse infinito.”
  
Nota

Vamos deixar claro que está é uma resenha nada imparcial e completamente apaixonada, minha experiência em criticar filmes se baseia no gostei e não gostei, mas como estamos falando de um livro e filme que ultrapassa o limite do “gostei”, este post se baseia em um amor platônico no limite do racional, beirando ao irracional.

                                  
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 Palavra do Leitor:

Obrigado por seu comentário!! Bem-vindo(a) ao Clube do Farol!