Resenha :: Corte de Espinhos e Rosas

Postado por | 6:39 AM 2Comentários

 “Amo você... Com espinhos e tudo.”
Tenho dois grandes arrependimentos ao se tratar desse livro. O primeiro é que eu não devia ter-lhe lido, já que faz parte de uma saga incompleta, e depois de ler o segundo livro (Corte de Névoa e Fúria), eu vou ter que enfrentar a tortura de esperar pelos outros . E o segundo grande arrependimento é não ter lido ele antes, já que ele foi lançado em 2015 e eu só o li agora, mesmo gostando da sinopse e me apaixonado pela capa desde que a vi pela primeira vez (e ainda mais quando o livro chegou na minha casa, com a toda a sua beleza), e me arrependo disso, pois devia ter lido no seu lançamento e me apaixonado por ele antes, porque ele merecia e eu vou ter que esperar de qualquer jeito mesmo. Então por que diabos não li esse livro antes? Sou confusa, eu sei ... Enfim, vamos sair um pouco da realidade e mergulhar nesse mundo incrível da Sarah J. Maas...
“Vou triturar seus ossos entre minhas garras; vou beber sua medula; vou me banquetear com sua carne. Sou o que você teme; sou o que receia...”

Antigamente os humanos eram escravos dos Grão-Feéricos. Mas após um tratado assinado depois de uma grande guerra sangrenta e destrutiva, os humanos conquistaram a sua “liberdade”, ficando com a parte sul do mundo, enquanto os Grão-Feéricos e os Feéricos ficaram com a norte, partes essas divididas por uma muralha. Na parte norte do mundo continuou existindo magia e tal, mas no lado sul os humanos não tinham isso, e tiravam seu sustento da terra, com plantações, caça... E se você fosse pobre levaria uma vida bem sofrida, principalmente no inverno.
 Na parte norte do muro se encontra Prythian, uma terra mágica e perigosa, que é dividida em sete cortes: Corte Primaveril, Corte Outonal, Corte Estival, Corte Invernal, Corte Crepuscular, Corte Diurna e Corte Noturna; com cada corte sendo governada por um Grão-Senhor diferente, todos muitos poderosos, mas que poderiam ser bem mais poderosos, já que Prythian sofre com uma maldição que está enfraquecendo o poder deles e todo o reino, com o perigo rondando a muralha, as terras feéricas e as humanas. Falando em humanas... 
“Somos poderosos demais, entediados demais com a mortalidade para sermos reprimidos por qualquer coisa.”

O livro é narrado pela jovem (humana) Feyre, que mesmo sendo a mais nova de três irmãs, era quem sustentava a família (o pai e as irmãs), após a falência, principalmente com a caça, enquanto o pai e as irmãs não ajudavam em nada (tirando ajudar a comer e a gastar dinheiro, nisso eles ajudavam ). E buscando esse sustento, em uma de suas caçadas ela acabou matando um lobo enorme, que na verdade era um feérico. E isso despertou a ira de uma fera que invadiu a sua casa para cobrar a vida que ela tirou, que só podia ser paga com outra vida. A dela. E Feyre teve que escolher entre morrer ali mesmo ou viver para sempre em Prythian, longe da família. Ela acaba indo com a fera para as suas terras, pensando que irá ser uma prisioneira, que será torturada, escravizada... Mas isso não acontece. Na verdade, ela consegue levar uma vida bem melhor do que antes e descobre que a fera na verdade é o Grão-Senhor da Corte Primaveril.
 "Amor não alimenta barriga vazia."

O Grão-Senhor da Corte Primaverial se chama Tamlin, que tem uma força bruta de uma fera e uma capacidade impressionante de matar, mas que, mesmo assim, busca ser justo, é bondoso, acolhedor, gentil, sabe ser divertido, além de ser imensamente apaixonante . Ele tem um passado meio sombrio, marcado pela praga que assola toda Prythian. Praga essa que, dentre outras coisas, fez seu rosto ficar coberto por uma máscara dourada, e não apenas o seu rosto, mas os de seus súditos também, e a única maneira de tirá-las é quebrando a maldição...
“Precisamos de esperança tanto quanto precisamos de pão e carne.”

Outro personagem bem apaixonante é o Grão-Feérico Lucian . Ele é o melhor amigo do Tamlin, e também tem um passado que ainda o assombra. No início ele não gosta nem um pouco da Feyre e mostra isso sendo meio frio e irritante (na verdade, eu gosto de quando ele é irritante ), mas aos poucos eles vão se entendendo e se ajudando... E foi impossível ele não se tornar um personagem super querido, tanto para a Feyre quanto para mim.
"Todos os monstros foram libertos de suas jaulas esta noite."

Enquanto tenta se adaptar à sua nova vida e conhecer essa nova “realidade”, vivendo em um requinte digno de uma nobre, a Feyre, uma humana que já sofreu muito, que comete falhas e erros e que tem alguns pré-conceitos e defeitos, conhece um lado dos feéricos que não fazia parte das lendas que lhe contaram. Ela começa a tentar conhece-los e entende-los, encontrando humanidade e bondade onde achava que só havia crueldade; encontrando amigos e até amor, onde achou que encontraria apenas inimigos e dor. Ela encontra em Tamlin alguém que a entende, pois ambos sabem o que é se dedicar a outras pessoas e como isso pode machucar e distancia-los dos outros, os tornando solitários. E quanto mais ela conhece o “mundo” dos feéricos e o Tamlin, mais ela vai deixando o ódio e a indiferença de lado, e seus sentimentos logo se transformam em amor, em uma paixão arrebatadora, (que são correspondidos ).
"Eu sabia... eu sabia que seguia um caminho que provavelmente terminaria com meu coração mortal despedaçado, mesmo assim... Mesmo assim, não pude evitar."

Mas nem tudo são flores na Corte Primaveril, nessa corte junto com os bons feéricos, também é possível encontrar os ruins. Há monstros, criaturas que espreitam querendo atacar, e ainda pior que isso, há Grão-Feéricos cruéis que avançam sobre Prythian, e esses são ainda piores do que as lendas que a Feyre ouviu. E quando segredos começam a ser revelados, a nossa protagonista tem que se dar conta da sua importância, do seu poder ante a maldade que se aproxima e a maldição que assola todo o reino, antes que todos estejam condenados. 
"Agradeça por seu coração humano, Feyre. Tenha piedade daqueles que não sentem nada."

Eu realmente amei o universo criado pela Sarah J. Maas, que apesar de esse primeiro livro ser uma espécie de releitura de “A Bela e a Fera”, é mais singular, mais cruel e mais sangrento. A maldição (que existe como no conto, apesar de ser meio diferente), dá um ponto a mais para a Sarah, que conseguiu nos fazer lembrar da maldição de A Bela e a Fera, mas sem deixar de ser única, intrigante e até meio que genial. O cenário é maravilhoso, a descrição de tudo, até das cores, me deixou louca para entrar no livro e conhecer Prythian (será que dá para chegar lá por um guarda-roupa como daria para chegar em Nárnia? ). Os personagens são complexos e extremamente marcantes. O enredo e narração são simplesmente incríveis. Encontramos um romance regado a tramas políticas, vinganças, intrigas, segredos, sacrifícios e que abre as portas a uma saga que tem tudo para se tornar a favorita de muita gente (ou não ).
“Tudo o que amo sempre teve a tendência de ser tirado de mim”.

Antes de dar essa resenha por encerrada, eu tenho uma confissão a fazer: eu não gostei de tuuuuuuuuudo nesse livro, algumas “coisinhas” me incomodaram um pouco e estou torcendo para não me incomodar com nada nos próximos livros, mas estou ignorando essas “coisinhas” para sentir que gosto inteiramente dele. Talvez eu esteja me obrigando a gostar dele por gostar tanto da história em si, não sei... Enfim, eu o amo e ponto. Se eu ficar repetindo isso, talvez todas as partes de mim acreditem nisso (Está vendo, Sarah J. Maas? Estou fazendo de tudo para gostar da sua saga, não faça besteira nos próximos livros! ). Vou até usar um mantra: “Dani, você ama Corte de Espinhos e Rosas e não desgosta de nada.... Você ama Corte de Espinhos e Rosas e não desgosta de nada....” Quando eu ler Corte de Névoa e Fúria te digo se o mantra funcionou .
“Não se sinta mal nem por um segundo por fazer o que a faz feliz”.

Corte de Espinhos e Rosas é uma obra que vai além do romance, ela nos mostra que nem tudo que parece é o que realmente é; que não se pode acreditar em tudo que dizem; que nem todos os que as “lendas” dizem ser ruins são ruins de verdade, que podem ser melhores do que se espera, que podem ser bons, que podem ser dignos da nossa confiança e do nosso amor. Nos ensina que quase sempre o amor é a resposta e a chave para tudo, mas que ele nem sempre é fácil. É preciso se arriscar. Sacrifícios muitas vezes são necessários. E você, até que ponto você iria para salvar a vida de quem ama?
"Melhor morrer com a cabeça erguida a morrer como um verme, encolhida e covarde."

Nota :: 

História do Clube

Conheça a primeira resenha da Danii aqui no Clube!
Clique e leia 
Beleza Perdida ― Amy Harmon

Informações Técnicas do livro

Corte de Espinhos e Rosas
Corte de Espinhos e Rosas #1
Sarah J. Maas
Ano: 2015
Páginas: 434
Editora: Galera Record
Sinopse (Skoob): 
Em Corte de Espinhos e Rosas, um misto de A Bela e A Fera e Game of Thrones, Sarah J. Maas cria um universo repleto de ação, intrigas e romance.
Depois de anos sendo escravizados pelas fadas, os humanos conseguiram se libertar e coexistem com os seres místicos. Cerca de cinco séculos após a guerra que definiu o futuro das espécies, Feyre, filha de um casal de mercadores, é forçada a se tornar uma caçadora para ajudar a família. Após matar uma fada zoomórfica transformada em lobo, uma criatura bestial surge exigindo uma reparação.
Arrastada para uma terra mágica e traiçoeira que ela só conhecia através de lendas, a jovem descobre que seu captor não é um animal, mas Tamlin, senhor da Corte Feérica da Primavera. À medida que ela descobre mais sobre este mundo onde a magia impera, seus sentimentos por Tamlin passam da mais pura hostilidade até uma paixão avassaladora. Enquanto isso, uma sinistra e antiga sombra avança sobre o mundo das fadas e Feyre deve provar seu amor para detê-la... Ou Tamlin e seu povo estarão condenados.
                  
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

2 comentários:

  1. Carambaaaa. Amei a resenha! E olha essa capa que linda!! Leria só pela combinação de cores hahaha. Primeira vez no blog e já to xeretando tudo viu? To seguindo já haha <3

    xox
    Próxima Primavera
    Participe do sorteio de 1 ano do blog (2 livros + brinde)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Clara! Também acho essa capa linda, até foi um dos motivos para eu comprar o livro, rs. E acredite ele é ainda mais lindo ao vivo.
      Bem-vinda ao Clube! E pode xeretar o quanto quiser, viu? rs.
      Espero que goste de tudo. :)
      Bjo

      Excluir

Obrigado por seu comentário!! Bem-vindo(a) ao Clube do Farol!